quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

BBB é um laboratório?


O programa Big Brother Brasil, transmitido pela TV Globo, é um sucesso de audiência e não é à toa, não! Se olharmos precisamente o que acontece ao longo do programa, percebemos que é possível analisar com certa exatidão, não apenas o comportamento das pessoas confinadas, mas do público que interage, votando e eliminando os participantes da franquia. Como em um experimento de laboratório, diversas 'amostras' de diferentes personalidades estão submetidas à diversas condições, variando da zona de conforto à adversidade das provas de resistência, por exemplo. Tem de tudo um pouco, uma verdadeira miscelânea: certinhos, 'diferentes', mocinhos e vilões e, como em todo relacionamento, as pessoas sempre procuram deixar uma ótima primeira impressão para assim, conquistar a simpatia de todos, mas uma hora a máscara cai e se sabe quem é quem, é bem aí que eu quero chegar. Aqui do lado de fora, quem acompanha ratifica a máxima de que, 'por dinheiro vale tudo': trair, enganar ou mudar convicções ao sabor das circunstâncias. A meu ver, uma das coisas mais intrigantes e ao mesmo tempo interessantes do programa, é ver a capacidade de escolha do público que, não raro, simpatiza com os elementos mais polêmicos ou de conduta claramente questionável(não vou citar nomes). A cultura do "o mundo é dos mais espertos" ou, "só os fortes sobrevivem" se traduz nessas escolhas, deixando muito nítida essa relação de simpatia para com alguns elementos, digamos, menos convencionais. Fazendo uma analogia com a política e, claro, guardadas as devidas proporções, o que acontece num programa desses( relação público-participantes) não deve ser muito diferente do que ocorre numa eleição(relação eleitor-candidato), na qual as vezes a afinidade do eleitor para com o candidato não está necessariamente relacionada ao caráter ou integridade por ele demonstrado, mas sim em outras características que nem sempre são desejáveis, sobretudo tratando-se de política. Certa vez, num artigo desses da vida, alguém deixou um comentário bem interessante dizendo que, seria bom se pudessemos colocar os candidatos em uma casa tipo do BBB antes das eleições, para que os conhecessemos melhor. Mas feita essa reflexão, será que isso mudaria alguma coisa?

Por Cleyton Saraiva
Imagem: Cleyton Saraiva

Um comentário:

  1. Acredito que não pois eu pessoalmente não gosto do tal BBB.

    ResponderExcluir